Compensação é feita pela empresa Ecooar, com plantio de árvores em áreas de preservação permanente (APPs)

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), garantiu que o 21º Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica 2020) obtivesse o certificado de sustentabilidade Selo Verde Ecooar.

Significa que, entre os dias 16 e 21 de novembro, houve a compensação de parte do dióxido de carbono (CO2) emitido pelo consumo de energia elétrica necessária para realização remota da mostra (abertura, premiações, oficinas, palestras e encerramento). Em 16 atividades on-line, o Fica precisou de 31 horas de transmissão pela internet.

De acordo com levantamento realizado pela Ecooar, durante os seis dias de evento, foram emitidos cerca de 520 kg de CO2 – gás que mais contribui com o aquecimento global e que permanece na atmosfera por até 200 anos.

A compensação de CO2 se dá por meio do plantio de árvores em áreas de preservação permanente (APPs) mapeadas previamente pela Ecooar.

No caso do Fica, após os cálculos da empresa, foi necessário o plantio de quatro árvores. Elas foram plantadas na APP da Fazenda Santa Cecília, na cidade de Garça, interior de São Paulo, onde a empresa já possui uma ação de reflorestamento em torno de nascentes da Bacia dos rios Aguapeí e do Peixe.

As quatro mudas, de plantas nativas daquela região, são monitoradas e protegidas pela equipe da Ecooar e, desde o seu processo de crescimento, já começam a auxiliar na captura de Gases de Efeito Estufa (GEE). Com o processo de fotossíntese das árvores, o gás carbônico é retirado da atmosfera por meio das trocas gasosas entre planta e ambiente, resultando na liberação de oxigênio.

O secretário de Estado de Cultura, Adriano Baldy, ressalta que parcerias como esta, são consideradas estratégias importantes para a implementação da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas (ONU), nos territórios. “E o Fica, sendo um evento inspirado justamente na sustentabilidade, precisa deste tipo de ação, pois é uma forma concreta de interferir positivamente nas mudanças climáticas”, conclui Baldy.

A Ecooar Biodiversidade

Trata-se de uma plataforma de compensação voluntária de GEE, com auditoria pública on-line.  A empresa foi criada em 2009 com a missão de reflorestar APPs da Mata Atlântica e demais biomas brasileiros. Por meio do cálculo do quantitativo de CO2 que as empresas parceiras emitem, a Ecooar efetiva a compensação plantando árvores.

A instituição também atua em projetos de reflorestamento e compensação florestal, auditoria de áreas de reflorestamento e planos de marketing ambiental, além do plantio de árvores para captura de emissões de GEE.