O festival ganha nova roupagem, porém, mantendo maior qualidade

O Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica), um dos mais importantes eventos culturais do Estado, que divulga Goiás em âmbito nacional e internacional, já tem data para acontecer. A edição de 2020 ocorrerá entre os dias 1º e 6 de setembro, na histórica cidade de Goiás.

Promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult Goiás), o Fica firmou-se, nesses 20 anos,  como o maior festival de cinema ambiental da América Latina e está entre os cinco maiores do mundo, e sua continuidade há muito vem sendo aguardada por produtores, realizadores, fãs da sétima arte e também, pelos vilaboenses.

“Tive a alegria de receber, no dia em que completei 100 dias de gestão à frente da Pasta, a confirmação e o autorizo do governador Ronaldo Caiado, para a realização deste festival, consolidado no cenário audiovisual, e que está sendo preparado com muito carinho pela nossa equipe”, comenta o secretário de Cultura, Adriano Baldy.

Diante da atual realidade econômica que passa, não só em Goiás, como também todo o país, o Fica deverá passar por algumas adequações e ajustes em sua estrutura, porém, mantendo a maior qualidade possível do evento, assegura Baldy.

Para isso, a Secult já está desenvolvendo, embrionariamente, um novo formato mais abrangente, que, além do audiovisual, envolvem música, teatro, redes e economia criativa, formatando um novo festival, com um time de representantes do audiovisual, de inovação, que irão dar uma roupagem diferenciada ao evento.

O festival

O Fica é um dos mais importantes projetos culturais desenvolvidos pela Secretaria de Cultura de Goiás. O festival, que este ano chega a sua 21ª edição, nasceu sob a motivação de propagar as potencialidades de Goiás para um cenário internacional.

Idealizado pelo jornalista e publicitário Jaime Sautchuk, o Fica exibe e premia obras em vídeo e película cuja temática é a defesa da qualidade de vida na Terra. O festival tem como palco fixo a cidade de Goiás e consolidou-se como uma grande amostragem do cinema ambiental de todo o mundo, descrevendo uma trajetória de êxito que se materializa pelo crescente número de países participantes a cada edição.

O Fica também desponta como a maior premiação da América Latina, com R$ 240 mil em dinheiro mais troféus, atraindo todo ano considerável número de visitantes para a cidade dos versos de Cora Coralina. Além de aquecer o turismo e a economia local, o festival gera em torno de si uma série de atividades ligadas ao cinema e ao meio ambiente, agregando produtores, realizadores e divulgadores do cinema ecológico, shows musicais e uma enriquecedora troca de experiência por meio de debates, fóruns e oficinas.

Como resultado, criou uma cultura de cinema em Goiás, com o surgimento de diversos cursos superiores na área, e cineastas de grande talento que foram formados pelo festival. E o setor de audiovisual passou a representar uma importante atividade econômica, gerando emprego e renda em todo o estado.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *